Carta del investigador

Ciências Sociais em S. Tomé e Príncipe: A Independência e o Estado da Arte

 

Índice:
Nota prévia
Abreviaturas
Introdução
1. ESQUISSO HISTÓRICO DA PRODUÇÃO DE SABER
   O lastro dos condicionalismos históricos
   Os condicionalismos políticos após a independência
   Inércia epistemológica tributária da ideologia anti-colonial
   A liberalização e o primado da performance política
   Ritualização da cultura e politização das línguas
2. AS TEMÁTICAS ABUSADAS
   A caracterização dos grupos sociais
3. OS TÓPICOS SILENCIADOS E IDEOLOGIZADOS
   O malbaratar da nação
   O plasma cultural
   Facto cultural, premissa do desenvolvimento
   Cultura, forma de resistência
   A procura de uma identidade africana
4. A FRAGMENTAÇÃO DOS NOVOS SABERES
   O curso da política, a mudança
   A reivindicação da africanização do sistema político
   A dificuldade do objecto político, a fulanização dos argumentos
   Entre os novos temas, o Estado e a meta do desenvolvimento
   A edificação do Estado
5. A DEMANDA DO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
   Capital humano, emigração e diáspora
6. O VEIO DA AGRICULTURA
   O passado da política agrária
   O futuro da política agrícola: o crédito
   Agricultura, desenvolvimento ou estabilização social?
   A entronização das pequenas explorações agrícolas
   A malquista diferenciação económica na base do tecido rural
   A canga do colonialismo
7. AS BOAS INTENÇÕES OU O PATERNALISMO: A REINVENÇÃO DA NATUREZA DO SÃO-TOMENSE
8. MUTAÇÕES SOCIAIS E EMPRESARIADO
9. TEMÁTICAS EM ABERTO
10. CIÊNCIA, OUTROS SABERES E POLÍTICA
Notas conclusivas
Bibliografia
Notas de leitura


Referência bibliográfica do livro:

Exportação para EndNote, ProCite

Exportação em Formato texto

Se está registado importe

Versão Web

Versão do texto completo em pdf.


Nascimento, Augusto. 2007. Ciências Sociais em S. Tomé e Príncipe: A Independência e o Estado da Arte. Edited by e-books. 1ª. Ed ed. Porto: Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto.

Da Introdução

Neste trabalho, propomo-nos tecer um breve historial das condições políticas e sociais da produção de saber científico no arquipélago e proceder a um inventário crítico do conhecimento na área das ciências sociais de autoria de são-tomenses, destacando os seus tópicos, estrangulamentos e perspectivas. Tentaremos, igualmente, escrutinar as razões sociais e políticas da escassa produção local e, mais importante, do eco reduzido, quando não nulo, desse saber na vida colectiva no arquipélago.

Contactos

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto
Via panorâmica, s/n
4150-564 Porto
Portugal

+351 22 607 71 41
ceaup@letras.up.pt